O brincar, a criança, a natureza e a família

Você lembra quando foi à última vez que você brincou com seu filho e sua filha na natureza? O mundo evolui tecnologicamente muito rápido, e nossa sociedade absorve esta evolução. Quem nunca viu uma criança de três anos com um tablet ou um celular na mão? Parece acessível e interessante deixar seu filho, curtindo em silêncio aquela interatividade repetitiva. Mas, que tal fazer algo diferente, e levar seu filho numa praça ou em algum parque da sua cidade?

É pauta hoje de pediatras, escolas e mídias educativas mostrarem os benefícios de uma criança que brinca na natureza. Há programas e ações que levam a criança a sério para ter um contato com a natureza. Agora você pai e mãe, educador e educadora que observa tudo isso, e continua segurando os pequenos numa redoma urbana? É importante repensar e começar a lembrar sua infância, para trazer elementos importantes para as crianças, e observar que no passado não muito distante tudo era diferente.

Se voltarmos 30 anos atrás, vai lembrar que as cidades tinham mais natureza, e que muitos de nossos pais moram ainda em sítios e roças. Com a evolução da cidade, o cimento tomou conta, a violência bloqueou a saída nas ruas, e a poluição tirou o brilho de ficar nas praças. Diante deste quadro, é preciso resgatar a infância positiva que se vivia no passado, com brincadeiras na rua, jogos de taco, pega-pega, esconde-esconde, as brincadeiras de bolinhas de gude na terra. Hoje colhemos benefícios deste tempo, e porque não levar os filhos na natureza?

Temos muitos parques com segurança, lugares que ainda nos resta um pouco de natureza tão preciosa. Temos que frear um pouco nossa vida urbana e conectar-se numa proposta de resgatar este tempo precioso em meio aos elementos da natureza: terra, ar, fogo e água. Gastón Bachelard, um filósofo alemão, diz que se temos contatos com esses elementos, nasce no ser humano, e principalmente na criança, uma imaginação criadora, como um pintor que cria uma verdadeira obra de arte. A criança passa ser mais criativa, porque em meio à natureza, ela cria seus brinquedos, ela cria sua história, e assim ela brinca inovando e inova brincando.

Nas fases iniciais da criança, ela está com os sentidos aguçados e em desenvolvimento, sua sensibilidade está em torno de 100 %, e se você quer uma criança respeitosa, que cuide de suas coisas, que desenvolva bons modos, a brincadeira na praça e nos parques é uma das soluções educativas. Leve seu filho para olhar as flores, as plantas e as árvores. Ensina ela contemplar os pássaros, crie à hora do conto em baixos de árvores. Se a natureza passa pelo inverso, mostre porque as folhas caem no chão; se está primavera, mostre as flores brotando. Por fim, deixe sua imaginação prevalecer e criar seus próprios brinquedos de forma natural.

O instituto Alana tem um programa que se chama criança e natureza, onde mostra os benefícios da criança em meio à natureza: o aprendizado mais ativo e explorador, o favorecimento dos vínculos sociais, a melhoria da nutrição, a redução da violência e outras séries de benefícios. Este programa tem uma página que se chama GPS da Natureza, que você pode cadastrar sua brincadeira e suas ações na natureza. Uma boa dica para você começar a introduzir seus filhos na proposta.

Como disse no começo, você lembra quando foi à última vez que levou seu filho e sua filha na natureza? Não importa mais quando foi, mas que agora você se organize e desfrute desta ação de aproximação e de conectividade com o meio ambiente, pois isso só trará a você benefícios, e muita criatividade para educar as crianças num mundo com mais qualidade de vida e sustentabilidade.

Marcelo Fernandes, filósofo e escritor.

4 respostas para “O brincar, a criança, a natureza e a família”

  1. Cláudia Renata Santos Vilela disse:

    Realmente precisamos ser mais humanos com a natureza. Ela nos proporciona vida.

    1. marcelo fernandes disse:

      Verdade Cláudia, com certeza precisamos resgatar a sensibilidade na criança, somos a biodiversidade do Brasil, somos partes da Natureza, ela nos sustenta generosamente.

  2. Maria do Carmo de Oliveira Nunes disse:

    Acho que tudo é uma questão de conscientização. Se principalmente, os adultos tiverem atitudes de cuidados com a natureza, as crianças vão de alguma forma seguir esse exemplo.
    Existe várias crianças que aprendem com os professores essa responsabilidade é acabam ensinando seus pais….

    1. marcelo fernandes disse:

      Sim Maria, é uma conscientização. Hoje a natureza está sendo degrada pelos adultos: queimadas, destruições de florestas, tráfico de animais, etc. E é urgente ensinar as crianças a cuidar deste planeta, deixar a semente que somos parte dela, que tudo que fizermos a natureza, virá a nós no futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *