Diferentes maneiras de brincar o “serra, serra, serrador”

Há algum tempo atrás, nós do Crinfancia, sugerimos a brincadeira do “Serra, serra, serrador” para bebês a partir dos 6 meses, mas você sabia que ela pode ser uma proposta de brincadeira bastante interessante para crianças maiores de 2 anos?

Com as crianças entre 2 e 3 anos é possível brincar da seguinte maneira, conforme apresentamos abaixo:
http://cmeidrzildaarns.blogspot.com.br/2012/08/brincadeiras-de-serraserra-serrador.html

Brinca duas crianças sentadas uma de frente para outra, dando-se as mãos. Começam a balançar de trás para frente, indo e vindo e cantando: – Serra, serra, serrador! Serra o papo do vovô! Quantas tábuas já serrou? Serra um, serra dois, serra três…
Para as crianças maiores de 3 anos a sugestão é que ao cantar “quantas tábuas já serrou?” , uma das crianças diz um número de um a dez. Então, as duas se levantam e, sem soltarem as mãos, dão os giros correspondentes ao número escolhido. O desafio é girar sem soltar as mãos ou cair. Depois é só sentar e começar tudo de novo. Agora é a vez da segunda criança escolher um número.
Essa brincadeira contribui no desenvolvimento de diversas habilidades e capacidades:
1) A primeira delas diz respeito a capacidade de interação entre as crianças, as quais precisam coordenar os movimentos e combinar ações.
2) Em relação ao movimento, desenvolve-se a flexibilidade, a coordenação motora e a capacidade de realizar os diferentes deslocamentos propostos na brincadeira.
3) Em relação ao raciocínio lógico-matemático, as crianças realizam contagem oral e as maiores ainda precisam coordenar a quantidade de giros em relação ao número escolhido.
4) Essa brincadeira contribui com o desenvolvimento  da linguagem oral e escrita de maneira lúdica, visto que, apresenta um jogo de palavras que envolve rima e ritmo, de acordo com Corsino (2009, p. 60-61)
Brincando com esses elementos culturais, as crianças têm a oportunidade não apenas de interagir, divertir-se e partilhar uma cultura lúdica transmitida entre as gerações, como também de reconhecer sons semelhantes, segmentar as palavras, completar versos dando novos sentidos, experimentar ritmos, enfim, de fazer uma análise bastante complexa da língua. Essas brincadeira contribuem, sobremaneira, para o processo de alfabetização, quando a consciência fonológica, fruto dessas análises, se fará necessária para a compreensão da natureza alfabética da língua e apropriação do sistema de escrita.
Vale ressaltar que o desenvolvimento de todas as capacidades mencionadas pela autora, ocorrem sem que necessariamente a criança necessite grafar palavras de próprio punho ou mesmo identificar letras, pois a própria composição do texto falado ou cantado remete à consciência das estruturas da língua.
O texto que acompanha a brincadeira, “Serra, serra, serrador”, pode ser alterado conforme os diferentes usos que as diversas culturas fazem dela. Uma dessas variações pode ser encontrada no vídeo do programa de TV, “Quintal da Cultura”, clique aqui para conhecê-lo. Nesse vídeo os apresentadores do programa “Quintal da Cultura”, exploram de forma bastante divertida a rima e o ritmo, produzindo uma variação no modo de brincar e declamar o “Serra, serra, serrador” que você professor (a) da Educação Infantil e séries iniciais do Ensino Fundamental, pode aproveitar para sua prática pedagógica.
 
FONTE: 
Corsino, Patrícia. A brincadeira com as palavras e as palavras como brincadeira. In, Corsino, Patrícia. Educação Infantil Cotidiano e Políticas. 2009, Campinas-SP, Ed. Autores Associados.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *