Adaptação na Educação Infantil: “O QUE EU JÁ SEI E O QUE QUERO APRENDER” (RELATO)


” Ah, minha gente, não há tablet, celular, computador ou qualquer outro brinquedo eletrônico de última geração que tire da criança o prazer de brincar, jogar bola, ouvir histórias, cantar, estar na companhia do papai e da mamãe ou simplesmente brincar de cozinhar! Se parássemos um pouquinho sequer para ouvir nossas crianças, descobriríamos que não é  tão caro fazê-las feliz e lhes oferecer condições para desenvolverem-se saudavelmente.” (minha análise após a atividade)

Olá professoras, conforme mencionei no post, “Adaptação na Educação Infantil: O que propor à crianças de 4 à 5 anos?”, neste vou relatar como foi e as minhas impressões a partir da proposta de atividade com a música “Já sabe” do grupo Palavra Cantada. 

Essa atividade foi desenvolvida em dois momentos, o primeiro aconteceu  na sala de aula e o segundo na brinquedoteca: 

1º momento: na roda de conversa, dialogamos sobre alguns combinados da rotina, as expectativas das crianças quanto ao que desejam aprender  na escola e em seguida propus que escutassem a música, acima mencionada. Durante a execução da música, observei que as crianças a escutavam atentamente, demonstrando certo prazer pela melodia suave em que ela é entoada. Desejaram ouvir novamente e na oportunidade, também  tentamos cantá-la.

Sendo assim, a letra da música passou a ser pauta de nossa conversa em que as crianças foram instigadas por mim a dizerem o que já sabiam fazer sozinhas. A maioria disse que sabe escovar os dentes e outros que sabe: lavar a louça (1), gostar da mamãe e do papai (1), orar (1), tomar banho (1), jogar vídeo game (1).Observe que, nesse primeiro momento seus saberes não estão diretamente relacionados aos saberes esperados no contexto escolar. 

Finalizando este primeiro momento, solicitei que desenhassem o que já sabem fazer sozinhas e os seus desenhos, de acordo com o apresentado acima, retratam o que disseram na roda de conversa.

2º momento: Para esse segundo momento, pretendia  que toda  a atividade fosse realizada no espaço da brinquedoteca, pois lá há uma mesa com rolo de papel pardo, onde as crianças iriam registrar por meio de desenho o que querem aprender. No entanto, nesse espaço só foi possível realizar a apreciação da música e a roda de conversa. Durante a roda de conversa quase todas as crianças desejavam expor quais eram suas expectativas, a maioria disse querer aprender a ler e outros completaram dizendo que esperam aprender a ler histórias, a ler e escrever (1), jogar bola e correr (2), cantar (1) e cozinhar (1). Diferentemente do momento no qual expuseram sobre o que já sabem fazer sozinhos, aqui o que  a maioria expressou está diretamente relacionado ao que a sociedade espera da escola, o ensino da leitura e da escrita.

Como não deu tempo para finalizar a atividade no espaço da brinquedoteca, levei os pedaços de papel pardo para a sala de aula, onde as crianças em grupos, por meio de desenhos retrataram o que disseram na roda de conversa.

MINHAS IMPRESSÕES:

O fato de a maioria das crianças desejarem aprender a ler, me levantou a seguinte questão, esse discurso está pautado no que os familiares esperam da Educação Infantil, sobretudo quando seus filhos estão no grupo V?

Diante dessa questão, voltei o meu olhar sobre os diversos momentos vivenciados ao longo da semana e, constatei primeiramente que algumas crianças diziam enfaticamente que queriam aprender  a ler história e um menino ainda enfatizou desejar aprender a “ler e escrever história”. Na sequência, presenciei também que sempre que tinham oportunidade visitavam o nosso “cantinho da leitura”. E, por último e não menos importante, todas as vezes em que as convidava para a roda de história, uma ou outra criança mencionava já ter visto a história que estava para ser lida por mim, inclusive uma menina disse “eu já assisti essa história”.

Mediante a tais fatos, creio que as expectativas dos pais quanto ao que as crianças devem aprender nessa faixa etária pode até em certa medida estar influenciando o discurso delas sim,entretanto me chama a atenção  o fato de desejarem aprender a ler e escrever especificamente histórias, ou seja, desejam a leitura e a escrita do texto, espaço no qual para nós do Crinfancia a linguagem se torna viva, não apenas objeto de ensino escolar, mas que transita pela nossas vidas por diversas razões de uso social.

Por ser pedagoga há mais ou menos cinco anos nessa mesma escola onde também atuo como professora, noto que os avanços nas práticas pedagógicas ocorridos nos últimos anos, em que a literatura infantil se faz muito presente no cotidiano de todos os grupos, creio que as crianças ao chegarem nessa última etapa da Educação Infantil, muito provavelmente elas já sintam-se instigadas a se apropriar de tal conhecimento.

Ainda darei sequência a outras atividades baseadas nessa música, inclusive envolvendo a participação das famílias, então quem sabe poderemos confirmar ou não essas minhas primeiras hipóteses. Mas, isso será assunto para o meu próximo post! Fiquem atentas!

Abraços; 

Professora Eliane

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *